segunda-feira, 23 de março de 2009

Lula Chama Obama de "Obrama"

Eu odeio o preconceito. Tanto que votei no presidente Lula na sua primeira eleição. Porém, as gafes que o nosso presidente comete é um sinal de que ele se sente mais à vontade a dizer àquilo que vem à cabeça, logicamente, favorecido pelos excelentes índices de aprovação de seu governo. No início do governo e a "incerteza política" que existia, nosso saudoso presidente só dava coletivas previamente marcadas pela assessoria da presidência, com claros objetivos de prepará-lo melhor para a sabatina dos jornalistas.

Agora, Lula não liga mais. Deixou de lado um pouco suas tradicionais metáforas sobre futebol e faz piada com tudo que lhe acha conveniente. Inclusive em visitas oficiais a outros países, mostrando cada vez mais suas raízes - que não são vergonhosas, mas simples - e lembrando um pouco do metalúrgico que um dia se tornou presidente.

A última e clássica foi a seguinte: "Eu me retiro dos EUA com a convicção de que a eleição do presidente Obrama é uma oportunidade para os EUA fazerem coisa diferente do que fizeram no século passado", Luiz Inácio da Silva, vulgo Lula, presidente do Brasil.

Tirando os erros de concordância, que isso já não me assusta mais, o presidente pecou ao chamar o presidente Barak Obama de "Obrama". Naturalmente, esse equívoco vai passar batido pelo povo americano, que não bebe Brahma e sim Budweiser. A graça é que não vão faltar piadas para associar mais uma vez o presidente ao hábito de beber, já que a Brahma é a cerveja mais consumida no país. Montou a sua? Mande pra cá que a gente publica!

Pra quem não acredita, tem a sonora abaixo.

Postar um comentário