terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Final do brasileiro é 100% VIP

Ser VIP (Very Important Person) praticamente atinge todos os setores ligados ao entretenimento. Ser VIP é deixar de pegar filas, é não correr por ingressos, é ter reservado os melhores lugares, é ficar ao lodo dos famosos, é ser bajulado, é ser paparicado e bem cuidado durante toda a sua estada no estabelecimento que oferece esse tipo de privilégio. Dizem que quem prova ser VIP uma vez, quer ser VIP pra sempre, pois sua substância é tão potente que consome que imediatamente toda sua humildade e simplicidade tão preservada.

Porém, há um custo para ser VIP. Geralmente é caro e é oferecido somente àqueles que já fazem parte do meio VIP. Mesmo que você seja um famoso efêmero, provavelmente esses não serão lugares que você deverá ter uma mesa com seu nome. Afinal a concorrência é grande e, nesse mundo de capitalismo carniceiro, o dinheiro sempre diz quem é mais importante.

Eu já vi esse tipo de segregação em vários lugares, em Clubs da moda, onde uma pulseira da área VIP determina se você vai para casa acompanhado ou não; em Shows, como o da Madonna, para além de ver de perto a tia, sentir um pouco do cheiro do formol; em espetáculos, iguais ao Cirque Du Soleil, em lugares que você é quase um coadjuvante do show. Contudo, o que eu nunca vi foi pegar um esporte da cultura nacional e transformá-lo em VIP para 100% do seu público. No próximo domingo, quem quiser assistir a partida final do brasileirão entre São Paulo e Goiás (quando o São Paulo pode se sagrar campeão), no Bezerrão (DF), terá que desembolsar uma quantia equiparada a jogos de copa do mundo: R$ 400,00 o ingresso.

É justo obrigar um torcedor humilde, transferi-lo até Brasília e impor um valor exorbitante no ingresso sobre pretexto de custear os prejuízos do campeonato? Com todo respeito ao Goiás, mas a diretoria do clube está confundindo prejuízos com oportunismo. Já que é a última rodada e o resultado desse jogo em especial vai definir no novo campeão brasileiro de 2008.

Não acho que a essa altura poderíamos incitar uma espécie de boicote contra essa atitude, porque o campeonato acaba agora e quem só sairia perdendo é próprio torcedor. Porém, seja você torcedor do São Paulo ou do Goiás, utilize toda sua força de protesto e critique veemente essa medida no dia do jogo com faixas, cartazes, camisetas, etc. Mostre que o torcedor não pode ser responsável pela falta de competência administrativa desses dirigentes de clube, que criam oportunidades para fazer terrorismo com a paixão do brasileiro. Lute com suas palavras, pois foi por conta de briga de mãos que teremos a final de brasileiro com o ingresso mais caro da história do campeonato.

Postar um comentário