quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Paulistano é insatisfeito na cama

Sua vida sexual é um espetáculo? Daqueles que precisariam reeditar o Kama Sutra, pois com sua experiência de cama, o livro já está pra lá de ultrapassado? Bom, se você é paulistano(a), você pode estar mentindo ou indo contra os resultados da pesquisa divulgada pelo Projeto Sexualidade do Instituto de psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP). Só com um nome desses já dá pra brochar.

Segundo a coordenadora do projeto, Camila Abdo, o maior índice de avaliação da vida sexual regular e péssimo veio da cidade de São Paulo: 25,4% dos homens e 29,1%das mulheres (claro, elas sempre são as mais insatisfeitas) disseram que a cama dá muito mais prazer para dormir do que qualquer outra coisa.

Eu sou paulistano e minha opinião, obviamente, não reflete esses dados. Dá pra curtir uma vida sexual excelente e boa em São Paulo, sabendo separar todas suas obrigações dessa árdua rotina. Porém, com nosso dia-a-dia, estar disposto a ir a um sex shop para dar um upgrade no seu desempenho não é um costume nato entre os paulistanos. Por exemplo, se você brigar com seu chefe durante um período de crise financeira, numa cidade onde a concorrência de trabalho é astronômica, como chegar em casa e “performar” como um atleta sexual sem esquecer de estrangular mentalmente seu patrão? “Amor, segura um pouco que eu vou guardar essa energia para descarregar no desgraçado que quer me ferrar na empresa”. Isso é notável na maioria dos paulistanos.

Sem contar o trânsito, o alto custo de vida, o estresse de uma vida corrida e ao mesmo tempo sem graça, a violência, etc, etc, etc. É muito, muito complicado, ter um alto desempenho sexual depois de quase ser tragado por uma vala durante uma enchente, ou presenciar um assassinato no meio do tráfego na marginal. É pedir uma força sobre-humana, que nem o Viagra conseguiu ainda.

Agora, analisando as outras cidades, veja a condição de cada uma delas.
Cuiabá: 13,8% dos homens e 21,2% das mulheres ruim ou péssima. Manaus: 15,8 dos homens e 15,8 das mulheres ruim ou péssimo. Belo Horizonte: 17,2 dos homens e 24,4 das mulheres. Porto Alegre: 17,9 dos homens e 19% das mulheres. Rio: 22,7% dos homens e 28,9 das mulheres. Salvador: 22,7% dos homens e 28,9% das mulheres.

O paulistano não se satisfaz na cama, mas também não absorve estímulos, como nas outras cidades que proporcionam uma qualidade de vida muito mais tranqüila, para se preocupar um pouco mais com isso. Queremos sexo de maior qualidade e durabilidade, mas antes poderíamos ter preliminares muito mais agradáveis antes de chegarmos à cama.
Postar um comentário