terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

The book is on the table, Scolari

Há alguns dias quando eu vi o treinador do Palmeiras, Wanderlei Luxemburgo, afirmar em um programa esportivo que o ex-técnico do Chelsea, Luis Felipe Scolari, que foi recentemente demitido do cargo, dizer que a língua inglesa foi o maior obstáculo de Felipão, eu imaginei imediatamente “what a crap”. No entanto, depois de ler a entrevista do meio-campo dos “Azuis”, Michael Ballack, no The Sun, não é que Luxa tinha razão.

Ballack afirmou que Scolari era um grande técnico, mas que muitas vezes ele tentava explicar muito mais do que podia com seu inglês.

Scolari was a great coach. Sometimes the language was not a problem though sometimes I felt he wanted to explain much more than he could with his language.”

Já comparado com o novo técnico, o holandês Gus Hiddink, o jogador afirma que o inglês do sucessor é próximo a perfeição.

Big Phil, como é chamado na Inglaterra, voltou a aquecer o mercado de treinadores antes do final da temporada. Portugal, país onde Felipão é idolatrado pelos seus feitos pela seleção local levando-os à final da Eurocopa de 2004, e Manchester City, que enfrenta enormes problemas com seu atual Técnico, são possíveis possibilidades para Scolari. Porém, dada as circunstâncias sobre a falta de comunicação com os jogadores, Felipão deveria aproveitar as semanas que faltam para o final da temporada e se inscrever em um curso intensivo de inglês em Londres.

Caso permaneça em solo europeu, assim estaria afiadíssimo para seu próximo desafio como técnico. Dinheiro não vai faltar, só a rescisão de seu contrato no time – estimada em R$ 25 milhões - já renderia uma bela aposentadoria onde ele quisesse no mundo.
Postar um comentário